Autor Tópico: Auxilio Fraterno  (Lida 315 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Paula

  • Administradora
  • Membro Intermédio
  • *****
  • Mensagens: 173
  • Total likes: 23
    • Ver Perfil
  • Posição Preferida: Papai e mamãe
Auxilio Fraterno
« em: 20 de Novembro de 2020, 02:47 »
Nós somos sete irmãos.Quatro naturais e três de criação.Dos naturais,só uma mulher.Talvez por isso,meus pais criaram apenas mulheres.Minha segunda irmã de criação é uma mulata bonita,forte,de seios grandes e pandeiro monumental,casada e com filhos.Sempre tivemos muita intimidade,e talvez por ser o mais velho,sempre fui seu confidente e conselheiro.Depois de algum tempo,ela veio morar perto de nossa casa,em um bairro próximo,com o marido e os filhos.Nós não temos filhos.O sobrinho mais velho teve um problema sério,e eu e minha esposa a ajudamos a resolver o caso.Há uns meses atrás, a empregada precisou se despedir,por problemas de família.Não encontramos substituta,e ficamos sós,o que não constituiu problema durante algum tempo.Tanto eu como minha mulher trabalhamos,e havíamos marcado as férias com muita antecedencia.A empresa de minha esposa adiou as férias dela,porque seu grupo ia precisar fazer um treinamento de um mês fora do estado.Tentei adiar minhas férias,ma sfui informado que era impossível.Teria que tirá-las no período marcado.Então minha esposa me disse que ia pedir a minha irmã pra vir ficar comigo em casa.Fiquei chateado, e disse-lhe que não havia necessidade de incomodar Lena,minha irmã.Afinal,ela tinha marido e filhos pra cuidar.Faltando dois dias pra minha mulher embarcar,meu cunhado ligou,perguntando se nós nos incomodaríamos de receber a mulher dele em casa,porque precisava ir ao interior com meus sobrinhos,resolver problemas de herança de uma pequena propriedade,e haviam-lhe informado que não seria necessário a presença de minha irmã,mas indispensável a das crianças.Achei estranho,e disse-lhe isso.
Respondeu-nos que também achara,mas que confirmara,e haviam repetido a informação.Estava preocupado de deixar minha irmã sozinha em casa,que é térrea,pequena,e sem muita segurança.Nós moramos em um pequeno apartamento.Minha mulher disse-lhe que também ia viajar,e assim,a presença de Lena em casa resolvia todos os problemas.
Entrei de férias no dia em que embarcaram todos.Levamos minha esposa no aeroporto;depois,deixamos cunhado e sobrinhos na rodoviária.
De lá,disse à minha irmã:-Tu deves estar farta de cozinha.Vamos comer fora.Ela concordou,mas perguntou aonde.Disse-lhe que eu estava com vontade de dar uma de rico,e que iríamos a um sofisticado restaurante de nossa cidade.Ela me disse:-Ca,eu não estou vestida pra um lugar desses!Pra mexer com ela,disse-lhe:-Com teu rabo,com qualquer roupa tu estás sempre vestida pra qualquer coisa!Ela ficou arretada,e me disse:-Ca,deixa de safadeza!
Almoçamos no restaurante,onde tomamos cerveja e vinho.Não bebo cerveja,e do vinho só tomei uma taça.Ela bebeu o resto.Depois do almoço,chamei-a pra ir à praia.Passamos em casa,vestimos roupa de banho,e passamos a tarde na areia.Conversamos muito,ela me falou de seus problemas financeiros,das preocupações com as crianças,da vida a dois com o marido.Entramos na água,e durante uma onda mais forte,ela ia caindo e eu a segurei pela cintura.Uma conhecida da minha esposa,fofoqueira de marca maior,que também estava na praia,aproximou-se de nós na água,indagando por minha esposa e quem era ela.Disse-lhe que minha mulher estava viajando a serviço,que eu estava de férias,e apresentei-lhe minha irmã.Vi que ela não acreditou,mas não dei importância.No caminho de casa,Lena me disse,divertida:Ela pensou que tu tava chifrando tua mulher comigo!Ela entrou no unico banheiro,e tomou banho antes de mim.Quando saiu,estava com outro biquini de praia,que lhe revelava os peitos e a bunda.Fui trocar de roupa,botei uma bermuda,e fui pendurar a toalha na pequena área de serviço,enquanto ela cuidava da ceia na cozinha estreita e apertada.Sem querer,rocei na padaria da minha irmã,e o cacete subiu no ato!Ficamos os dois sem jeito,e estáticos.Fomos tentar falar os dois,dizer qualquer coisa,e de repente nos agarramos!Não resisti ao tesão,mamei as tetas dela,encostei-a no balcão da cozinha,baixei o biquini,e e enfiei o pau duro no cu dela,que rebolava em minha pica sem parar.Esporrei em seu rabo sem parar,gozando junto com ela!
No dia seguinte,tentamos conversar sobre o acontecido,e acabamos nos comendo outra vez no sofá da sala,dessa vez trepando pelo rabo e pela boceta!