Autor Tópico: Aconteceu no carnaval.  (Lida 229 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Paula

  • Administradora
  • Membro Intermédio
  • *****
  • Mensagens: 173
  • Total likes: 23
    • Ver Perfil
  • Posição Preferida: Papai e mamãe
Aconteceu no carnaval.
« em: 20 de Novembro de 2020, 02:47 »
Neste ultimo carnaval,eu e minha esposa Bete,fomos para o litoral para descansarmos um pouco e levamos nosso sobrinho Glênio conosco.Ele é um rapaz de 18 anos,forte,alto,1,80ms,loiro,labios grossos,bastante sensual.No sábado fomos a um baile na cidade e voltamos lá pelas quatro da madrugada,um tanto quanto já alterados pelas bebidas.Durante o trajeto fizemos algumas brincadeiras com Glênio,tipo assim,se ele já tinha tido sua iniciação sexual,como foi,com quem,etc.Glênio nos disse que era um garanhão,que muitas garotinhas do colégio onde estuda,já tinham sido suas amantes.Rimos muito e falamos que ele era muito cheio de palhas,ou seja,muito fanfarrão.Ao chegarmos em casa,fomos para nosso quarto dormir,enquanto ele foi dormir no sofá da salinha.Eu e Bete ficamos pelados e tratamos de começar sessão de sexo.Comecei a chupar a bucetinha dela,enquanto Bete chupava meu cacete.Depois de algum tempo,me deitei sobre ela e a beijei com uma tara louca,enquanto meu pau roçava sua bucetinha sem que ele a penetrasse,deixando-a louquinha de prazer e vontade.Foi então que Bete me disse:Sabe,quando voltávamos para casa,senti um tesão louco pelo Glênio,quando ele disse que comia as menininhas do colégio.Fiquei com vontade de ser enrabada por ele.E porque não tenta?falei.Você topa?Claro,respondi.Bete se levantou e foi até a salinha onde Glênio estava vendo tv.Ao vê-la toda nua,o rapaz se assustou,mas Bete o acalmou e convidou-o para vir até nossa cama.Ele veio meio sem jeito.Ao me ver todo nú na cama disse:O que voces vão aprontar?Fica calmo,você vai ver e gostar eu disse.Bete tirou a bermuda e a cueca dele e ao ver seu cacete duro feito uma tora caiu de boca nele.Glênio ficou louco,gemia e apertava a cabeça de sua tia.Não demorou muito e ele encheu a boquinha dela de porra quente e viscosa,que Bete engoliu todinha,chegando a passar a lingua pelos seus lábios.Bete se deitou sobre mim e ajeitou meu cacete em sua bucetinha,que foi totalmente preenchida,enquanto nosso sobrinho enfiava seu pau no cuzinho dela,que gemia de dor e prazer.Bete tinha dois mastros dentro dela.Quando gozamos,Bete ficou entre nós e nos punhetou algum tempo.Quando já estavamos em ponto de bala de novo,ela se deitou e me mandou meter meu cacete em seu cuzinho,enquanto ela voltava a chupar a pica de Glênio.Quando meu pau se acomodou todinho em seu cuzinho,Bete falou para nosso sobrinho se ajeitar sobre mim,ela queria que ele metesse seu mastro em meu cú.Tentei rejeitar,mas ela me apertou e disse:Benzinho,faz isto por mim,vai.Glênio lambeu meu cú,deixando-o cheio de saliva e começou a tentar a penetraçào.Quando a cabeça de seu cacete se alojou na entrada de meu cú,senti uma dor forte e recuei,mas ele forçou,e pela primeira vez,senti uma pica dentro de mim.Glênio foi introduzindo lentamente sua vara em meu cú,até que senti suas bolas baterem em minhas nádegas.Estava doendo,mas o prazer era tão grande que eu comecei a rebolar minha bunda para sentir as estocadas com mais tesão.Neste momento,meu pau estava todo dentro de Bete e meu cú estava sendo arrombado pela vara de meu sobrinho.Quando Glênio gozou,ao sentir sua porra quente no meu cú,gozei loucamente no cuzinho de Bete.Quando o cacete dele saiu de dentro de mim,senti um alívio,mas eu queria mais,agora me sentia uma puta.Fui até o banheiro e trouxe uma toalha úmida para nos limparmos.Limpei com carinho o cacete de Glênio e comecei a chupa-lo.Seu mastro chegava até minha garganta.Ele e Bete se beijavam na cama.Glênio gozou pouquinho em minha boca,uma porra quentinha e fina,com gosto salgado e adocicado.Engoli tudinho.Nos deitamos juntos,com o pau de Glênio atolado no meu cú e o meu no cuzinho de Bete.Quando acordei,lá pelas onze horas da manhã,Bete e Glênio estavam na salinha se beijando e se mordendo.Tomei um belo banho e um café reforçado,pois eles já haviam feito tudo isto antes.Embora ainda sentisse meu cú ardendo,eu queria mais e chamei Glênio para minha cama.Ele me atendeu e veio.Me deitei de costas para ele e pedi que lambesse meu cuzinho.Glênio começou a passar sua lingua pelo meu cú,enfiando a pontinha dentro.Eu delirava de prazer.De repente,ele começou a lamber meu saco e pegou meu cacete ,alisando com carinho.Não aguentei mais e me virei para fazer um 69 com ele.Bete assistia tudo ao lado da cama,enfiando seus dedos dentro de sua xana.Comecei a lamber o cuzinho de nosso sobrinho,que por sua vez me lambia e metia sua lingua no meu cú.Quando abocanhei o pau dele,Glênio também meteu sua boca em meu cacete e começou a chupar com vontade.Quando não aguentei mais,enchi a boca dele com meu esperma,no mesmo tempo que ele gozou loucamente na minha.Sua porra escorreu pelos meus lábios.Agora eu queria comer seu cuzinho.Glênio concordou e se virou de costas para mim.Meti meu mastro levemente em seu cuzinho,até que o penetrei todinho.Tirei meu cacete e pedi que ele se virasse de frente pra mim.Coloquei suas pernas em meu peito e de novo enfiei minha vara em seu cuzinho.Bete ficou com a buceta sobre sua boca para que ele a chupasse.Glênio enfiava sua lingua todinha na xaninha de sua tia,ao mesmo tempo em que era fodido no cuzinho.Gozei pouco desta vez.Estavamos extenuados.Me deitei no tapete do quarto e adormeci,enquanto eles ficaram metendo,não sei quanto tempo aguentaram.Dormi muito tempo.Acordei a tardinha.Os dois estavam dormindo agarradinhos.Nesta noite,fizemos uma festa.Gozamos de todas maneiras.Ao voltarmos para nossa cidade,combinamos de continuar nossa relação sempre em finais de semana,coisa que acontece até hoje.Se voces gostaram deste relato verídico,votem nele,e também experimentem,com certeza vão gostar.