Autor Tópico: Bondage meditativo: nova versão do fetiche sexual é indicada para relaxar  (Lida 163 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Paula

  • Administradora
  • Membro Intermédio
  • *****
  • Mensagens: 173
  • Total likes: 23
    • Ver Perfil
  • Posição Preferida: Papai e mamãe
Quem conhece o bondage – fetiche sexual no qual a fonte de prazer é amarrar ou ser amarrado e imobilizado pelo parceiro – dificilmente associa a prática à meditação. Talvez a primeira coisa que venha à cabeça seja Anastasia Steele, Christian Grey e o livro "Cinquenta Tons de Cinza", não uma técnica de relaxamento. Mas, acredite, é possível juntar as duas coisas.

Existem diferentes maneiras de praticar o bondage. O medidativo é uma delas e não tem nada a ver com sexo ou violência. Na verdade, segundo praticantes o objetivo é combinar a espiritualidade com a sexualidade. "É sobre conter outro ser humano, o que leva para uma outro nível de conexão", explica Orpheus Black, educador sexual americano que dá aulas particulares e em grupo de bondage meditativo, assim como outras práticas de BDSM (ou Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão). "É uma maneira de se sentir cuidado e protegido, um método para clarear a mente e se soltar. Algo similar àquilo que os pais fazem ao envolver os bebês com mantas – esta forma de contê-los faz com que se sintam seguros e cuidados. A ideia é a mesma", conta o professor ao site Mashable.

Ao promover o curso de bondage meditativo em seu site Black explica que o exercício é para ambos os participantes, o dominador e o dominado. "Tirar um tempo para se conectar consigo mesmo é essencial para o crescimento e desenvolvimento do indivíduo e da dinâmica. Quando o casal consegue abrir mão de seu ego e ficar no seu estado puro, ele consegue se conectar num nível humano que poucos têm a chance de experimentar”, explica. Ele ainda destaca que não há dor durante esta prática.

A repórter do Mashable, Carrie Borzillo, foi numa das aulas promovidas por Black. Ela conta que o educador sexual ficou em pé atrás de sua esposa, Indigo Black, também chamada por eles de "escrava". Indigo estava seminua. Ele amarrou seus braços por trás, com uma tradicional corda japonesa feita de algodão. "Aperto com a força de um bom abraço. Depois de um tempo, é como se fosse um abraço prolongado. É amoroso, não doloroso", explica Black. Ele também programou um alarme de meditação, para15 minutos (se ficar mais do que isso você pode sentir as extremidades do seu corpo adormecidas).